top of page

Em evento com governador, ACM lança o Mapa de risco da saúde em SC


marcar 86 anos de trajetória, a Associação Catarinense de Medicina (ACM) reuniu associados e lideranças do Estado em evento na noite de sexta-feira, em Florianópolis. O presidente da entidade, Ademar José de Oliveira Paes Junior, recebeu o governador Jorginho Mello e divulgou as primeiras informações sobre nova pesquisa da entidade, denominada “Mapa de risco da saúde do catarinense”, que visa embasar medicina preventiva nos próximos anos.

- Santa Catarina sente orgulho de seus médicos, que diariamente ajudam a salvar a doente saúde púbica – disse o governador, num alerta à realidade enfrentada atualmente no setor de saúde pela gestão estadual.


O mapa elaborado pela associação sinaliza como a sociedade catarinense, por meio das instituições de saúde, empresas e outras instituições, pode agir mais na prevenção à saúde.

Isso reduz a demanda em todas as esferas de serviços de saúde.


A pesquisa da ACM apurou, por exemplo, que a população de Florianópolis é a que mais prática atividades físicas em relação a todo o Estado.


Os catarinenses da Região Oeste são os que mais consomem verduras e legumes, e na Região Serrana, é registrado, proporcionalmente, maior número de prescrições médicas para medicamentos para baixar a pressão arterial.


Com esses e outros dados que ainda serão divulgados, a ACM, instituições de saúde e outras podem propor e executar práticas preventivas e curativas mais focadas, reduzindo assim a incidência de uma série de problemas de saúde na população.


Segundo o presidente da associação, essa pesquisa visa colaborar para a construção de uma política de saúde cada vez mais eficaz no Estado. Os dados acima sinalizam a necessidade de ações diferentes em cada cidade.


Para fazer o mapa, a ACM ouviu pessoas de 20 microrregiões do Estado, somando mais de 2.500 entrevistas presenciais. A intenção é saber a incidência e a distribuição dos principais fatores de risco e proteção para doenças crônicas não transmissíveis na população adulta de SC. A pesquisa separa por sexo, faixa etária, escolaridade e condições socioeconômicas.

Esse levantamento visando prevenção mostra o protagonismo da ACM, fundada em 1937, em Florianópolis. Com trabalhos reconhecidos em favor da saúde no Estado, a Associação é hoje a grande responsável por abrir debates e caminhos que levam a avanços tecnológicos na assistência de qualidade, ao desenvolvimento da saúde, crescimento dos serviços, à gestão eficiente e empreendedorismo médico. Um dos segmentos em que o setor tem se destacado é na abertura de negócios na área de desenvolvimento de tecnologias para melhorar a saúde.


Fonte: Estela Benetti, NSC Total -


Em evento com governador, ACM lanca o Mapa de risco da saude em SC - NSC Total
.pdf
Fazer download de PDF • 685KB


2 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page